Novas estações da linha 5-Lilás do Metrô são entregues com uma série de falhas

Com quase três anos de atraso, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) inaugurou na quarta-feira (6) três novas estações da linha 5-lilás do Metrô na zona sul sem que as obras de acabamento tenham terminado. Infiltrações, vazamentos, vidros estilhaçados e elevadores em manutenção ou já quebrados foram falhas encontradas nas paradas.

Foto: Rede Noticiando


Por enquanto, as estações Brooklin, Borba Gato e Alto da Boa Vista ficam abertas das 10h às 15h e a circulação é gratuita no trecho até a Adolfo Pinheiro e Brooklin. Quem pretende seguir em direção ao Capão Redondo precisa descer na Adolfo Pinheiro e pagar a passagem.

À tarde, por volta das 14h30, bombeiros foram chamados para resgatar um passageiro que ficou preso em um dos elevadores da estação Brooklin por cerca de 30 minutos. O equipamento foi desligado logo depois, por precaução.

Nos banheiros masculinos, há vazamento em vasos sanitários nas estações Brooklin e Alto da Boa Vista. Falta lixeira ao lado dos sanitários e, na Alto da Boa Vista, um espelho está escorado por ripas.

Vazamentos e infiltrações também ficaram aparentes nas paredes das estações e nos pisos cheios de marcas de goteiras. Destaque das novas estações, havia claraboias cobertas com plástico ou tapadas com madeira.

Até mesmo espaço reservado para extintores está vazio na Borba Gato. Um dos símbolos do improviso é uma placa que sinaliza a rota de fuga pregada com fita crepe na parede da Brooklin.

Também foi frustrada a expectativa de quem esperava bicicletários em todas as estações. Só há na Brooklin e, nas demais, paraciclos.

A inauguração parcial ficou evidente para quem circulou pelas estações. "Eles inauguraram às pressas, porque a imprensa ficou em cima. Aqui, iria mais uns dois meses de obra ainda, porque não está pronta", disse a bancária Marisa Rodrigues, 47 anos, em visita à estação Borba Gato.

METRÔ


O Metrô, empresa da gestão Geraldo Alckmin (PSDB), diz que as três novas estações da linha 5-lilás, Alto da Boa Vista, Borba Gato e Brooklin, estão em operação assistida, sem cobrança de tarifa, que será estendida pelos próximos 60 a 70 dias.

"Esse processo conta com estrutura necessária para o funcionamento das estações considerando horário reduzido, baixo fluxo de usuários e é útil para que o Metrô possa fazer todos os ajustes nas estações, sistemas e demais itens de conforto, segurança e conveniência. A operação nesse formato segue padrões internacionais."

O Metrô afirma que a ampliação da linha 5-lilás compreende a construção de 11 km e 11 estações, de Adolfo Pinheiro (inaugurada em 2014) a Chácara Klabin, compra de 26 novos trens, implantação do sistema de sinalização e controle e a construção do pátio de manutenção Guido Caloi, ao custo de R$ 9,97 bilhões (valor atualizado). A empresa não informou o custo de cada um das novas estações.


As informações são do Jornal Folha de S. Paulo


0 Comentario "Novas estações da linha 5-Lilás do Metrô são entregues com uma série de falhas"

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial