SPTrans estuda aumentar intervalos de ônibus nas linhas da madrugada

Foto: Redes Sociais
Medida pode ser alternativa para reduzir custos de operação da Rede Noturna que, segundo a gerenciadora do sistema, são três vez maiores por passageiro que nos horários habituais

Uma das principais bandeiras da gestão Fernando Haddad em relação à área de transportes, a Rede Noturna, formada por 150 linhas de ônibus que circulam na cidade de São Paulo, pode sofrer alterações na atual gestão.

Mas os motivos não são relacionados, numa primeira análise, a posições políticas ou descontinuidade administrativa e, sim, à situação financeira da prefeitura e, especialmente do setor de transportes na cidade que, neste ano, deve precisar de subsídios de mais de R$ 3 bilhões, sem contar que parte de repasses do sistema às empresas de ônibus que deveriam ser realizados em 2016 devem ficar para a conta do início de 2018.

Para mexer o menos possível nas 150 linhas, a administração estuda tomar medidas que visam reduzir os custos da Rede Noturna.

Entre as possibilidades está aumentar os intervalos em algumas destas linhas e, assim, podendo reduzir a frota ou número de viagens.

Quando a gente pensa em mexer na rede noturna é porque estamos sufocados com o valor [do custo] por passageiro, que custa três vezes mais caro transportar na rede noturna do que na rede do dia. ” – disse o secretário municipal de mobilidade e transportes Sérgio Avelleda, em encontro de influenciadores digitais realizado neste último sábado, 19, na capital paulista..

“O ideal seria até expandir [a Rede Noturna], mas o problema é que nós temos um cobertor que está muito curto. Talvez quando implantaram esta Rede Noturna, tinha uma realidade financeira mais favorável. Mas nesta conta ao mesmo tempo se ampliou o Passe Livre, se ampliou a gratuidade para pessoas com mais de 60 anos de idade. Tudo isso junto elevou o subsídio [ao sistema de transportes] a mais de R$ 3 bilhões. No ano passado pagaram R$ 2,5 bilhões, mas ficaram devendo 400 [milhões]. Neste ano nós vamos pagar R$ 2,7 bilhões e vamos deixar o R$ 400 milhões do ano passado para o ano que vem. Um subsídio que começou em São Paulo baixíssimo e foi crescendo. E se a gente não fizer nada, ele [o subsídio] não vai parar de crescer.” – disse Avelleda no encontro, fazendo referências à gestão passada, de Fernando Haddad à frente da prefeitura e Jilmar Tatto na secretaria de transportes.

A Rede Noturna foi criada em 28 de fevereiro de 2015. Antes, havia 98 linhas que atendiam de maneira não uniforme a cidade e que funcionavam 24 horas.

Diferentemente destas 98 linhas anteriores, as 150 linhas, sendo 49 estruturais, que ligam terminais com intervalos de 15 minutos e as 101 locais, que ligam os bairros aos terminais, com intervalos de 30 minutos, operam somente da meia noite às quatro da manhã.

Antes da Rede, os ônibus 24 horas transportavam por mês, em média, 550 mil passageiros. Já em julho deste ano, foram 991.869 usuários, ou seja, a procura pelo sistema aumentou, em especial nas áreas de atendimento de saúde e aos fins de semana.

O aumento da demanda, entretanto, segundo os dados da SPTrans, não representou “divisão maior do bolo” e redução dos custos por passageiros.

De acordo com slides apresentados por técnicos da SPTrans no encontro, a Rede da Madrugada tem, em média, custo mensal de R$ 7,5 milhões. O custo por passageiro hoje na rede comum, ainda segundo a apresentação, é de R$ 2,57 enquanto que o custo por passageiro na madrugada é de R$ 7,57.

Foto: Diário do Transporte
Hoje a frota da Rede Noturna é composta por 544 veículos, dos quais 249 para as linhas estruturais, 226 para as linhas locais e 69 de reserva.

Umas das alternativas no primeiro semestre foi alterar o tipo de ônibus que operam de madrugada, aumentando a quantidade de veículos básicos e midis e diminuindo o total de Padrons e Articulados, que têm maior capacidade.

Foto: Diário do Transporte
Os índices de qualidade de prestação de serviços na madrugada são melhores do que no restante do dia.
Enquanto nos horários habituais o índice de cumprimento de viagens é de 90%, o da madrugada é de 96%. Maior, contudo, é a diferença entre a rede do sistema convencional e a rede da madrugada quando o quesito é pontualidade. Segundo a SPTrans, enquanto a pontualidade das partidas na madrugada é de 96%, no decorrer do dia apenas pouco mais da metade das partidas dos ônibus é pontual: 58%
Foto: Diário do Transporte
Avelleda disse no encontro que a Secretaria de Mobilidade e Transportes está aberta às sugestões, mas que atitudes para baratear a rede terão de ser tomadas. O secretário voltou a alfinetar a gestão anterior.
 “Por nós a oferta de transportes seria melhor, a infraestrutura seria muito melhor, os ônibus seriam muito mais modernos , mas tudo isso precisa se encaixar na realidade, sem populismo. Quando se faz uma medida muito boa, mas esta medida não tem sustentabilidade financeira, um dia você vai quebrar em algum lugar” – complementou o secretário Sérgio Avelleda, que defendeu a medida do prefeito João Doria em congelar a tarifa dos ônibus em R$ 3,80 neste ano.
“Alguém pode dizer. Ora, mais aumenta a tarifa. Mas as pessoas não estão com dinheiro para pagar a tarifa. Do outro lado, a gente tem 14 milhões de desempregados no Brasil e não há mais espaço para mexer no dinheiro das pessoas e dizer para elas: me dá mais dinheiro para sustentar o sistema. Não demos reajuste da tarifa mesmo porque não tinha como dar. As pessoas não vão aguentar pagar. Fizemos medidas, aumenta a integração, racionaliza o passe-livre [estudantil] , não é que reduziu o passe-livre, mas disciplinou o uso para voltar a ser como sempre foi. Até na época que só havia a meia passagem sempre foi desse jeito. Para o estudo dávamos uma ida e uma volta com quatro integrações no sentido. Agora tinha até um contraste, quem pagava meia passagem tinha essa limitação, quem não pagava nada não tinha limitação nenhuma. A gente não faz estas medidas por prazer. A gente tem de fazer com o recurso que tem, o melhor para todos. Não aumentar a tarifa foi a decisão política correta de, com o menor recurso, fazer o melhor para todos”– afirmou ainda Avelleda no encontro.
Veja a apresentação na íntegra: https://goo.gl/kBNq48
As informações são do Diário do Transporte

0 Comentario "SPTrans estuda aumentar intervalos de ônibus nas linhas da madrugada"

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial